Lançada no sábado a Campanha da Fraternidade em São Luís

domingo, 26 de fevereiro de 2012 Marcadores:
Começou em todo o País, a Campanha da Fraternidade da Igreja Católica que neste ano, tem como tema "A fraternidade e a Saúde Pública". Coordenada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), A campanha está em sua 48ª edição e ocorre todo ano durante o período da quaresma e é coordenada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB),e cujo objetivo é exatamente trazer para a igreja católica os debates de temas importantes da sociedade.

A saúde pública é um direito constitucional garantido a todo cidadão e que muitas vezes, não é totalmente garantido pelo poder público, especialmente entre as camadas mais pobres. São 150 milhões de brasileiros que dependem do SUS, enquanto que 40 milhões tem seus planos de saúde e aquelas pessoas que dependem do sistema única nem todas são atendidas. A campanha nos faz refletir sobre essa realidade, o tema da campanha sempre é escolhido a partir de problemas cruciais que atingem a sociedade brasileira".

Com o lema "Que a saúde se difunda sobre a Terra", a campanha deste ano, segundo os coordenadores, foi pensada exatamente pelo equilíbrio que o ser humano deve ter. "Também é preciso que cuidemos da saúde para tê-la como bem nos dado por Deus, buscando uma vida saudável", completa.

E para que o cuidado consiga atingir a "melhor forma possível" é preciso cobrar as autoridades. Dentre essas cobranças, a campanha também enfoca a saúde preventiva. "Muito se gasta em saúde curativa e sabemos que pela prevenção se pode fazer mais", analisa.

A Campanha da Fraternidade será abordada hoje em todas as celebrações da Quarta-feira de Cinzas e difundida nas paróquias nos próximos meses. "Teremos as reflexões nos movimentos, pastorais e partir da Santa Missa, divulgar este tema e assumirmos nossa responsabilidade. Como Igreja Católica temos feito muito e pretendemos fazer mais através das pastorais sociais, da Saúde, da Criança, Pessoa Idosa. Temos que avançar muito mais neste campo da solidariedade".

O TRÂNSITO É UMA QUESTÃO GRAVE DE SAÚDE MUNDIAL!

A atual situação caótica do trânsito no Brasil há muito deixou de ser apenas uma questão organizacional do Ministério dos Transportes e um problema doméstico dos estados; tornou-se um problema de saúde pública nacional. Isso porque as internações hospitalares das vítimas do trânsito também cresceram cerca de 15 %, beirando os 146 mil por ano. O número de óbitos aumentou em mais de 11 mil nos últimos dez anos, e o de cirurgias quase que dobrou; em contrapartida, o número de leitos hospitalares e de UTIs não acompanhou esse crescimento nem de longe, resultando na falta de vagas e recursos para atender nossas próprias vítimas.

A cada ano que passa, o trânsito no Brasil produz um exército de mais de 400 mil feridos, grande parte com sequelas permanentes, que demandarão cuidados e recursos a longo prazo, como as centenas de sequelados que apresentam acometimento sobre a coluna ou medula espinhal, repercutindo em déficits motores irreversíveis. Quando as tragédias no trânsito não matam, certamente aleijam. O fato é que estamos produzindo uma mortalidade sem precedentes em sociedades destruídas por guerras ou calamidades, mas com um diferencial: conflitos e intempéries um dia terminam, diferentemente das mortes nas estradas, que crescem a cada feriado prolongado.


0 comentários:

 
Bastidores3 © 2013 | Traduzido Por: Template Para Blogspot